Bruno Antunes é “sommelier” e responsável pela seleção de vinhos da empresa WINE MAN da qual é o fundador. Bruno participa no CMB desde 2006. Depois de alguns anos de ausência, regressa na edição de Veneza e admite ter conhecido no CMB alguns dos vinhos medalhados com os quais hoje trabalha. Trabalha com uma seleção de 200 vinhos de 22 produtores portugueses que importa.

Qual é a parte que mais o interessa enquanto jurado do CMB? 

BA: O que mais me interessa no CMB como jurado, é visitar regiões novas e provar coisas diferentes.

Como decide quais são os vinhos medalhados que vai pôr na prateleira?

BA: Normalmente, pelo preço versus qualidade e também a região. Tenho o cuidado de ter uma gama vasta e heterogénea. Tenho também atenção a outro ponto,  existem vinhos completamente desfasados a nível de preço versus a notoriedade da região.

Vende vinhos medalhados de vários países, qual a origem com mais medalhas com a qual trabalha?

BA: Só vendo vinhos portugueses, mas dentro de Portugal diria que tenho tantos vinhos medalhados do Douro como do Alentejo.

As medalhas nas garrafas têm uma grande importância na decisão do dos clientes?  

BA: Sim sem duvida, todos os vinhos medalhados têm bastante impacto. O cliente numa indecisão, opta sempre por levar um vinho com medalha.

Segundo a sua experiência e “expertise”, que impacto tem uma medalha do Concours Mondial de Bruxelles nas vendas?

BA: Não sei exatamente qual a percentagem do aumento mas é um impacto importante nas vendas sem qualquer duvida.

Quais são as “tendências” atuais que identifica para Portugal?

BA: Atualmente, o que está a crescer muito em Portugal, é o consumo dos vinhos biológicos.

Para mim pessoalmente, representaram no ano passado, um crescimento de 50%. Mas, continuamos a ter muito cuidado na escolha dos vinhos biológicos e naturais…ainda existem muitos com defeitos que não sou capaz de beber e portanto, também não os vendo.

Outra tendência, é a procura de vinhos com mais idade, com mais caracter e volume e isso também ao trabalho que tem sido feito por parte dos “sommeliers”.

Dê – nos a sua opinião sobre: porque é que os produtores devem enviar os seus vinhos para o Concours Mondial de Bruxelles?

BA: Reconhecimento e Posicionamento da marca sem dúvida e, caso ganhe uma medalha a possibilidade de aumentar as vendas; sim porque as medalhas do CMB ajudam na evolução das vendas!