Comunicado de imprensa
Brno, sexta-feira 4 de Setembro de 2020

A primeira sessão de degustação do 27º Concurso Mundial de Bruxelas arrancou hoje em condições totalmente novas. Pela primeira vez na história do concurso, as provas decorrem no início de Setembro. No coração da Morávia do Sul, em Brno, os 250 provadores iniciaram as sessões em total conformidade com os regulamentos de saúde em vigor.

Apesar das condições especiais, os 55 júris avaliarão cada um até 50 vinhos por dia. As entradas são divididas em séries coerentes, tendo em conta critérios como a origem, a casta, o teor alcoólico, o teor de açúcar residual e o preço. 8.500 vinhos de 46 países produtores participam no concurso deste ano. O país anfitrião inscreveu quase 370 vinhos no concurso (3 vezes mais do que em 2019) e ficou em 5º lugar, precedido apenas pela França, Espanha, Itália e Portugal.

Os vinhos checos, as jóias escondidas da viticultura europeia

Conhecidos principalmente pelas suas cervejas, muitas pessoas desconhecem que o vinho na República Checa é mais antigo do que o próprio país. De facto, a viticultura na região da Morávia do Sul remonta ao tempo do Império Romano. A cidade de Brno, onde esta 27ª edição está a decorrer, está localizada na Região Vinícola da Morávia, onde 96% dos vinhedos checos estão localizados. Para um país desta dimensão e da sua área relativamente pequena (17,421 ha), a República Checa produz mais de 50 variedades de uvas. 69% dos vinhedos são plantados com castas brancas. Entre as novas vinhas cultivadas no país encontram-se o Moscatel da Morávia, a Pava e o André. Pavel Krška, Director do Centro Nacional do Vinho na República Checa. “A qualidade dos vinhos da Morávia e da Boémia merece ser realçada, não só no nosso país, mas também por todo o mundo. Estamos muito satisfeitos por receber os provadores deste concurso de renome internacional e por promover a viticultura e a República Checa como um todo. »

Cumprimento das regras sanitárias

Com o intuito de garantir o bom funcionamento do concurso, o Concurso Mundial de Bruxelas pôs em prática medidas sanitárias rigorosas. Infelizmente, apesar dos valores da organização, este ano os provadores são exclusivamente de países europeus. Máscaras protectoras e gel hidroalcoólico estão à disposição de cada um. Os sinais explicativos ensaiam todos os gestos de barreira úteis e recordam os requisitos essenciais para o distanciamento físico. O uso de máscara também é necessário em áreas comuns e durante todos os deslocamentos.

As sessões de degustação são organizadas como todos os anos, de acordo com o procedimento rigoroso do Concurso Mundial de Bruxelas. Cada provador tem uma mesa individual e um espaço de trabalho que respeita escrupulosamente as regras de distanciamento social. Uma equipa de profissionais com luvas e máscara dedica-se a um serviço rigoroso dos vinhos. Qualquer movimento na sala de provas será organizado, estritamente limitado, e a máscara obrigatória. Finalmente, a assistência médica está permanentemente presente no local e disponível para todos.

As imagens da cerimônia de abertura

Contactos para a imprensa:

Valentina Phillips : valentina.phillips@vinopres.com

Tél. : +32 2 533 27 66 | Mobile : +32 478 21 27 33

Charles Piron : charles.piron@vinopres.com

Tel : +32 (0) 2 533 27 65 | Mob. +32 478 54 83 13