Depois de um mestrado em gestão numa faculdade em Louvain-La-Neuve, Maxime Lebrun começa a trabalhar no Carrefour Bélgica. Maxime trabalhou em varios departamentos do grupo, primeiro como gestor do supermercado e depois no departamento de compras. Durante os 8 anos no departamento de compras, ele trabalhou nos vinhos espumantes, cervejas e vinhos tranquilos. Hoje, ele trata principalmente da seleção de vinhos na variedade dans lojas Carrefour e da gestão dos produtos. ( negociação,rentabilidade, desenvolvimento e comunicação)

O que é que a sua participação no Concours Mondial de Bruxelles lhe traz?

ML: A medalha do Concours Mondial de Bruxelles é reconhecida na Bélgica pelo seu lado “local”. Os participantes são verdadeiros profissionais do sector e são sempre muito simpáticos os encontros profissionais. Depois, durante o concours mondial descobrimos vinhos e territórios que muitas vezes são desconhecidos.

O que representa o concours mondial de Bruxelles na vossa marca?

ML: Neste momento, trabalhamos com aproximadamente 50 referências medalhadas no Carrefour Bélgica. A escolha não é simples, nós temos em conta a origem do vinho e o valor da medalha também é importante para nós evidentemente.

Em termos percentuais, de que paises são originarios os vinhos medalhados que vende?

-França: 50 %
-Espanha: 10%
-Italia: 10%
-Portugal: 10%
-Chile: 10%

Segundo a vossa opinião, qual é a importância da medalha nas garrafas para a decisão de compra dos clientes?

ML: As medalhas asseguram um certo tipo de cliente. Outros podem por vezes suspeitar do grande número de medalhas diferentes e duvidar do seu valor. É por isso que a comunicação sobre o método de atribuição das medalhas continua a ser fundamental. Deve notar-se também que os clientes procuram medalhas e portante colocam a sua escolha na mão de “especialistas”.

Segundo a sua expériencia, qual é o impacto da medalha do Concours mondial de Bruxelles tem nas vendas ?

ML: Mais 30% de vendas nos vinhos medalhados no Concours mondial de Bruxelles em comparação com os outros nas feiras de vinhos.

Que tendências observa atualmente no mercado vinícola? Qual é a coisa mais exitante no mercado do vinho neste momento?

ML:Há um verdadeiro retorno dos consumidores aos vinhos europeuos( Espanha, Italia, Portugal) em detrimentos dos vinhos fora da Europa. Infelizmente tem havido uma queda acentuada nas vendas dos vinhos franceses.
Existe também uma verdadeira tendência para os vinhos orgânicos e sem alcool. A nova geração esta se a dirigir mais nesse sentido de procurar este tipo de produtos e destes conceitos. Deve notar-se que o consumidor belga é muito diversificado e bastante conhecedor.

Porquê que os produtor devem inscrever os seus vinhos no Concours mondial de Bruxelles?

ML: Em relação ao Carrefour Belgique, é uma verdadeira vantagem, não só ser seleccionado nas feiras de vinhos mas também ter bons argumentos de venda com os compradores e assim entrar nos hábitos de consumo.